13 / Nov2017

A MAIS PROVOCATIVA EXPOSIÇÃO DO MET ESTÁ A CAMINHO

VIA: NYTIMES

O Costume Institute of the Metropolitan Museum of Art está pisando em terreno religioso.

Cruz bizantina de procissão, 1000-1050 AC. Vestido de festa Gianni Versace, outono 1997–98

O título da exposição do Met deste ano é o sugestivo “Heavenly Bodies: Fashion and the Catholic Imagination”. Espraiando-se por três galerias — a Anna Wintour Costume Center, as salas medievais no Met da Quinta Avenida e os Claustros —, e por, aproximadamente, 60.000 metros quadrados, a exposição exibirá cerca de 50 trajes e acessórios eclesiásticos emprestados pelo Vaticano, múltiplos trabalhos da própria coleção do Met dentro da esfera de arte religiosa, e ainda 150 designs de estilistas diversos que se inspiraram na iconografia ou estilo católicos.

Fragmento de mosaico de piso bizantino, 500-550 AC, restaurado, em mármore e vidro. Vestido Dolce & Gabbana, outono 2013–14.

As peças vão de óbvios ícones Versace e Dolce & Gabbana às mais insuspeitas, como um Chanel inspirado em vestido de comunhão, Valentinos couture inspirados nas pinturas de hábitos de monges por Francisco di Zurbarán. Será o show mais opulento até hoje. E também o mais provocativo.

“Toda exposição do Costume Institute tem esse potencial”, declarou Andrew Bolton, o curador. “Esta, particularmente, mais que qualquer outra. Mas o foco está na hipótese dividida, sobre o que chamamos de imaginação católica, e a forma como ela provoca artistas e designers e modela sua abordagem criativa, em contraponto a todo modo de teologia ou sociologia. Beleza sempre foi, afinal, uma ponte entre crédulos e incréus.”

Seguidor de Lippo Memmi, São Pedro, meados do século XIV. Vestido Elsa Schiaparelli, verão 1939.

Comente!