25 / Mai2014

SAIU NA REDE: PLATAFORMA RUSSA BURO 24/ 7 ENTREVISTA JOHN GALLIANO SOBRE PARCERIA COM A L’ETOILE

jg2

Quando o Buro 24/7 se encontrou com John Galliano em Moscou, era imensa a tensão… Todas aquelas questões nas quais sempre se pensa ao se pensar em Galliano haviam sido cortadas. Esta entrevista é apenas sobre beleza.

É claro que não sabíamos o que esperar do estilista. Um dos assuntos, aliás, que nos permitiríamos abordar era como ele, que havia simbolizado toda uma era da moda, vivia após o escândalo no bar e a subsequente queda como diretor criativo da Dior em 2011. O artista de 53 anos tentara adentrar a indústria da moda algumas vezes, com projetos e colaborações esporádicas. Desenhou coleção com Oscar de la Renta em 2013, foi editor de moda de um ensaio estrelado pela amiga Kate Moss para a Vogue britânica. A nova parceria de Galliano, com a cadeia russa de beleza L’Etoile, parece ser o contrato mais poderoso que assinou desde seu tempo de Dior.

Assim, quando chegamos ao Hotel Ukraine – onde ele está hospedado durante sua estadia no país –, nossa maior expectativa é que esteja em excelente humor.

Felizmente, ele está. De fato, estar de frente com ele é uma surpresa deliciosa. Ele está sorridente, num estado de espírito adorável. O cabelo longo cobrindo os ombros e um terno negro sobre camiseta bastante decotada.

Galliano pede uma coca cola, acende um cigarro – pede ao fotógrafo que não o fotografe fumando para “não dar mau exemplo!” e vai checando as fotos para ter certeza, não deixando dúvida alguma de que está no controle de seu próprio show… Assim começamos.

jg1

Não sabemos nada sobre sua colaboração com a L’Etoile. Conte-nos como começou

Recentemente, representantes da marca me contactaram, e, quando eu ouvi a história, me emocionei e me senti instantaneamente inspirado por seu fundador, Maxim Klimov, sua visão e forma de pensar, a ideia de se fazer itens de luxo disponíveis para o grande público. E assim estou aqui hoje. Fui convidado a criar 12 capas para a revista da marca, e é maravilhoso que tenhamos trabalhado com ótimos fotógrafos, modelos, maquiadores e em diversas locações pelo mundo.

Meu trabalho é bem amplo, é inclusive com a própria linha de cosméticos para a L’Etoile. Criarei uma imagem jovem e esfuziante, inspirada pelo meu ideal de garotas. Eu adoro a ideia de produtos multifuncionais, que podem ser usados em diferentes áreas do rosto, como gloss que pode ser aplicado nas bochechas, pálpebras, lábios, para dar brilho. Eu acho que é incrível que um produto possa ser aplicado com a ponta dos dedos enquanto você viaja. Só não direi, “enquanto dirige” porque é perigoso!

A linha de noite, eu a batizei White Nights – inspiração russa, muito St. Petersburg. Eu estarei totalmente concentrado na brincadeira dos pigmentos. Gosto da maquiagem de noite mais vibrante – um olho dramático ou os lábios coloridos, fortes. Eu também amo a ideia de que uma determinada cor também possa ser aplicada nas unhas, e o efeito é algo como se você tivesse acabado de comer morangos e bebido drinques vermelhos, restando nos lábios aquela sombra escarlate tão sensual. Adoraria ver, também, materiais recicláveis usados nas embalagens, mas estamos trabalhando essa questão ainda.

jg3

Foi difícil fazer a transição da moda para a beleza?

Não, de forma alguma. Meu último posto tinha tudo que ver com maquiagem e fragrância. Eu criava as imagens para as campanhas, as fotografava e participava no desenvolvimento dos perfumes, os quais têm papel preponderante nessa indústria. Eu me sinto confortável no mundo da beleza. Adoro criar imagens, combinar belas roupas. E espero poder aprender a parte técnica da produção dos cosméticos também, agora que estou trabalhando com essa marca inovadora.

Antes desse projeto, você já havia pensado em criar sua própria linha de cosméticos?

Sim, sem dúvida. No entanto, eu andava um bocado ocupado. Porém, aprendi muito pelo caminho, com mestres como Steven Meisel e Peter Lindbergh. Se você participa do processo, coloca a mão na massa, você aprende, vê como os maquiadores aplicam os produtos. E é nesse lugar agora que quero estar.

Como sua experiência anterior o ajudou? Na Dior, você trabalhava muito de perto com Pat McGrath na beleza, certo?

Sim, Pat e eu temos uma relação de amizade que já dura anos. Trabalhei com ela no mesmo nível de intensidade que com os demais membros da minha equipe, fossem eles produtores ou sapateiros – todos. Sempre que estou com ela, criamos, juntos, uma história que é fruto da minha inspiração. E inspirações podem ser telas, arte moderna, tantas coisas. Crio a minha musa imaginária. Depois, faço um scrapbook com várias figuras, detalhando quem é ela. Ela ama sentar-se à luz de velas? De que cheiros ela gosta? Crio a personagem completa. Em seguida, mostro o scrapbook para experts como Pat. Ela, então, conduz sua própria investigação, vem até mim, e divide comigo suas ideias, detalhes. Talvez eu diga a ela, “a maquiagem tem de ser mais forte,” ela gosta das intervenções, e surge com novas ideias. Ela é maravilhosa, muito talentosa!

É realmente fantástico criar histórias. Para homens também. Por exemplo, “ele trabalhou no deserto, o que certamente afetou a tonalidade de sua pele’, então decidimos que deve haver certo tom dourado no seu rosto. Sou muito grato por ter tido a chance de trabalhar com gente tão brilhante.

jg4

Você chegou ao mercado russo em 1997, quando a John Galliano foi lançada em Moscou. Por que decidiu prestar atenção ao país?

Estou há três anos longe da indústria, era tempo de retornar. A vida me deu um tempo espetacular para pensar e me redescobrir. Eu parei de me indagar quem sou e o que farei em seguida, e sou muito grato a esse tempo. A oportunidade de trabalhar com a L’Etoile veio num momento em que eu me sentia pronto para me expressar novamente, pronto para voltar. Quero me expressar de uma forma nova. Foi apenas uma questão de tempo, e eu sinto que agora é o momento bom para um começo diferente, e aqui estou. Eu estava na Rússia, foi destino. Estou aprendendo tudo sobre seu mercado de moda, tentando estudar e entender quem é a mulher russa moderna, que agora é tão diferente daquela que conheci a primeira vez em que aqui estive!

jg6

Conte-nos sobre as capas da revista da Etoile. Entendemos que você já preparou 12, certo? Ou existe mais coisa a ser feita?  

Ainda estamos trabalhando nelas. Uma delas, clicada por Mert Alas e Marcus Piggott em Nova Iorque, traz eu e uma modelo. Em Paris, clicamos com Luigi & Daniele + Iango. Também fizemos em Londres. Atraímos profissionais com quem eu já havia trabalhado, e que são imensamente respeitados no mundo da beleza.

Quem escolheria o rosto dos cosméticos?

Kate. [Moss]

Ela é definitivamente sua musa

Conheci Kate quando ela tinha 14 anos. Agora ela é uma mulher, mas seus olhos ainda estão plenos de sensibilidade, vulnerabilidade, ternura. A verdadeira beleza. Quando falamos numa campanha, tais atributos são perfeitos!

Você planeja usar os cosméticos? 

Veremos o que acontece. Esta não é minha linha pessoal de maquiagem. Estou trabalhando nela para a L’Etoile, embora esteja carregada da minha personalidade. Tudo será feito com cuidado máximo, o que é muito importante para mim. As pessoas deveriam mudar seus hábitos de cuidado com a beleza regularmente, e testar coisas novas, depois retornar a tudo que funcione. É como eu faço. Por exemplo, não é bom usar sempre o mesmo shampoo, é melhor testar algo novo, pois o cabelo reage de modo diferente a produtos diferentes.

Gosto da busca por um estilo de vida saudável. Adoro ir à academia, cardio. Interesso-me por macrobiótica – super tendência. Gosto de produtos diferentes, como sabonete em texturas diversas (creme, barra). Tonificantes, hidratantes para a área dos olhos, filtros solares – uso tudo. À noite, lavo minha pele e não aplico nada oleoso.

E este ano, descobri a acupuntura para o rosto. É fabulosa! A pele se torna macia e radiante, recomendo. É muito boa, especialmente após vôos. E a dica mais importante? Não tome sol. Todo mundo sabe disso, mas, na Europa, ainda vejo garotas jovens na praia, tostando ao sol. É doloroso de se ver.

Como vê seu futuro na indústria? Pretende continuar trabalhando com beleza?

Sim, não tenho dúvidas!

jg7

As notícias sobre sua parceria com a L’Etoile dizem: “John está de volta.” Quão importante é para você isso?

Acho que nunca saí realmente. Apenas foquei na minha saúde. Agota é tempo de retornar com toda a energia.

As condições é que são completamente diversas agora. Antes, eu tinha de criar 32 coleções por ano, muito trabalho! Estou feliz por, nesse momento, poder escolher o que fazer e usufruir a experiência com tempo. Por isso estou fazendo o que estou fazendo – porque é preciso se divertir enquanto se trabalha. Criar uma imagem, adoro isso. Estou feliz por fazer as pazes com o mundo, e me juntar a ele novamente.

E outras notícias se seguirão a esta? 

Sim, outros projetos serão anunciados… gradualmente.

Fotos: reprodução

Sigam @chrispitanguy no Instagram

Comente!