14/11

A PRIMAVERA 2018 PEDE FRANJAS CHIQUES

As franjas voltaram em sofisticado e inegável balanço! Primeiro, cruzaram a passarela da Calvin Klein, nos vestidos festivos, de forma longa, dramática, mas limpa. Na sequência, em Milão, surgiram em estruturas mais tradicionais numa série de saias e vestidos das marcas Marco de Vincenzo e Salvatore Ferragamo. Finalmente, na Dior, Maria Grazia Chiuri as cortou no jeans mais azul-celeste, o que resultou em peças sofisticadas,  mas muito usáveis, práticas, as quais, certamente, ilustrarão os Instagrams de moda da temporada.

Vejam as franjas do momento em todo seu balanço!

CALVIN KLEIN

MARCO DE VICENZO

SALVATORE FERRAGAMO

DIOR

 

31/10

SAI O MILLENNIAL PINK E ENTRA O LARANJA ACESO – PRIMAVERA 18 INTERNACIONAL

O incensado millennial pink parece estar com os dias contados na realeza das tendências. Deve ser tempo de outra cartela, outro tom dominante! A indústria já apontou algumas possibilidades de substituição, como, por exemplo, o amarelo puxando para o abacaxi, o lilás mais etéreo e o menta mais refrescante. No entanto, se a passarela fresquinha da Primavera 2018 está correta, mais provável seja o laranja, desse dos uniformes e cones de segurança, a nova cor a reinar. Cor difícil, mas copiemos o charme das peças da curadoria que segue…

FENTY

DIANE VON FURSTEMBERG

CALVIN KLEIN

TOM FORD

LELA ROSE

26/10

BELLA E GIGI DE CHANEL #SISTERGOALS

Melhores amigas, it models, irmãs Bella e Gigi Hadid personificaram #sistergoals na noite de ontem, quando saíram para um jantar em homenagem a Karl Lagerfeld, vestindo looks Chanel combinados.

30/09

PARIS, PRIMAVERA 18: MUGLER; ELIE SAAB

MUGLER:

David Koma abriu a passarela minimalista e ousada da Mugler com uma sequência de corsets jeans, a silhueta bem modelada, e cintos de couro esculpidíssimos, desenhando o contorno sexy da cintura do tipo ampulheta, tão nostálgica.

O estilista se declarou inspirado pelo bang bang de 1971, “Les Pétroleuses” (“Frenchie King” em inglês), estrelado por Brigitte Bardot e Claudia Cardinale. “Elas são tão fortes e rebeldes, mas femininas e sensuais também, paradoxalmente.” (DAVID KOMA)

Mugler RTW Spring 2018

Mugler RTW Spring 2018

Mugler RTW Spring 2018

Mugler RTW Spring 2018

Mugler RTW Spring 2018

Mugler RTW Spring 2018

Mugler RTW Spring 2018

ELIE SAAB:

O estilista trabalhou num arco-íris de cores e muito, muito degradê. A inspiração: selva, em toda sua sensualidade, estampa de bicho e estampa de folhagens exuberantes e vivas.

Saab disse, a respeito dos looks monocromáticos da passarela, com inspiração bem anos 90, e uma praticidade à toda prova: “Sinto uma energia renovada nesta coleção, com seu daywear forte e versátil.”

29/09

PARIS, PRIMAVERA 2018: BALMAIN; ISABEL MARANT

BALMAIN

Tachinhas, cristais, paetês e franjas para o dia! Olivier Rousteing revestiu de glamour as peças esportivas, em vez de focar, como de praxe, nos vestidos.

As jaquetas, suéteres e calças gritavam apelo comercial. “Eu acho que há maturidade nessa minha coleção. Eu fico muito feliz por apresentar-lhes meu novo mundo.”

“Tento impressionar-me a mim mesmo, mas também a plateia. Porque tenho, no meu corpo, a mesma sensação de sempre. Quando meus pais me adotaram, à noite eu sempre corria para colocar o pijama, de medo que eles me devolvessem ao orfanato. Sempre precisei de amor, de ser amado e apreciado.”

Rousteing falou de seus pais por causa da sua escolha de local para o desfile, o Palais Garnier. Foi nele que o estilista, quando tinha 10 anos, assistiu ao seu primeiro balé, acompanhado dos pais, em Paris.

Ele arrematou: “Viemos visitar a cidade, e então assistimos ao balé. Eu fiquei impactado. Eu pensei: “é isso o que quero para minha vida, é o que sinto . . . La splendeur Parisienne. E nunca poderia imaginar naquela época que, vinte anos depois, teria a oportunidade de apresentar minha coleção aqui. Ter a chance de desenhar para o balé — subi ao palco com os dançarinos diante de plateia de 2.000 pessoas! Era um sonho se realizando… e ver Brigitte Macron nas minhas roupas!”

ISABEL MARANT

Enquanto a top Kaia Gerber abriu, Gigi Hadid fechou o desfile de Isabel Marant, um show de silhuetas off-white, bem limpas, muitas camisas, vestidos curtos e jaquetas esportivas.

Amando esse branco minimalista e rigoroso, as saias com babados e os vestidos mini e tão ingênuos, com seu belo broderie anglaise.

A estilista também estreou sua primeira coleção masculina, tão descolada quanto esta.